Política e Sensibilização

Política e Sensibilização

Política e Sensibilização

O papel estratégico da CGE é assegurar que a voz das organizações da sociedade civil no terreno é ouvida pelos órgãos de decisão política regional e internacional.

O movimento está representado pela CGE e pelos seus membros nos órgãos internacionais mais relevantes no sector da educação.

Em parceria com o Conselho Internacional de Educação de Adultos (ICAE – International Council for Adult Education), a Internacional de Educação (EI) e a Associação Europeia de Estudantes (ESU – European Student Union), o movimento criou o Grupo de Interessa na Educação e Academia (EASG – Education Academia Stakeholder Group) para representar a educação e a sociedade civil junto do Fórum Político de Alto Nível das Nações Unidas (HLPF) sobre os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável. O EASG organiza anualmente um evento paralelo para realçar as ligações entre a educação e os ODS sob avaliação.

A CGE recebeu recentemente o estatuto consultivo especial pelo Comité Económico e Social da ONU (ECOSOC). Este estatuto vem dar ao movimente um maior acesso ao sistema da ONU, em particular às agências de direitos humanos.

A CGE também representa a sociedade civil para a educação nas reuniões anuais do Banco Mundial, na Assembleia Geral da ONU, e no G7 e G20.

 

Quadro Estratégico de Sensibilização

O Quadro Estratégico de Sensibilização da CGE visa identificar, complementar e apoiar as agendas e prioridades dos membros regionais e nacionais. A sensibilização é um papel primordial da CGE, pois a promoção e defesa do direito humano à educação está no âmago do nosso movimento.

No centro deste quadro está a necessidade da CGE reforçar a sensibilização com base em factos para rebater a tendência regressiva da cooperação internacional para a educação, a privatização, bem como as visões redutoras sobre a qualidade na educação e os processos de exclusão que afectam essencialmente as populações discriminadas, em particular as pessoas com incapacidades, meninas e mulheres.

A CGE deve exercer uma influência credível e informada sobre a decisão política nacional, regional e internacional para a educação, através de processos de sensibilização coerentes que façam com que os governos e a comunidade global cumpram os seus compromissos de consecução do direito à educação e do ODS4 da Agenda 2030 para a Educação.

Para tal, a CGE estabelece as principais áreas de trabalho de sensibilização:

  1. Promover a implementação eficaz do Objectivo de Desenvolvimento Sustentável 4/ Agenda 2030 para a Educação.
  2. Influenciar a agenda global, promovendo abordagens transversais à qualidade da educação que vão para além dos resultados de aprendizagem.
  3. Promover o apelo à acção da CGE relativo ao financiamento da educação, considerando tanto os países em desenvolvimento, como os países doadores.
  4. Promover o aumento do apoio e compromisso estatal na prestação do ensino público gratuito.
  5. Reforçar a inclusão e a igualdade de género na educação.
  6. Promover a participação das organizações da sociedade civil nos processos de tomada de decisão e de responsabilização, incluindo os que são organizados por estudantes e professores.
  7. Promover a educação de jovens e adultos e a educação da primeira infância como elementos fundamentais para a agenda global de Aprendizagem ao Longo da Vida.